Segunda-feira, 24 de Maio de 2010

Tito de Morais

Tendo por mim a desculpa da idade, não posso orgulhar-me de ter conhecido o Tito antes do 25 de Abril pois só o encontrei pela primeira vez, em Paris, em 1975.

Tive porém, ao longo dos anos em que viveu desde então, a ocasião, ou melhor, várias ocasiões de apreender e de aprender qual a densidade da generosidade e da disponibilidade que este Homem dedicou à luta pela Liberdade e Democracia antes do 25 de Abril, e depois, pela sua consolidação.

O Manuel Tito de Morais, pela firmeza das suas convicções, foi para mim, jovem "débutant" na militância política, um exemplo.

Fosse em reuniões de carácter político ou em família e com os amigos, sempre encontrei um Tito afável e disposto a dar a sua contribuição ao debate e às discussões, que por vezes eram animadas.

Vi no Tito, um Homem que tinha o máximo respeito e sem qualquer género de complexos, pelas pessoas com quem lidava e em quaisquer circunstâncias.

A este propósito, quero apenas recordar um facto, ocorrido durante a sua Presidência da Assembleia da República:

Encontrando-me de férias em família, em Portugal, num belo dia de verão, vejo chegar dois automóveis particulares que pararam frente à minha casa. De um deles saiu o Tito, a sua esposa Maria Emília e dois dos seus filhos. Ao recebê-los, manifestei o meu orgulho por estar a receber em minha casa o Presidente da Assembleia da República. O seu comentário foi pronto e instantâneo: "Ora essa, então lá por ser Presidente da Assembleia da Republica já não teria o direito de visitar os amigos que visitava antes e visitarei depois de o ser?" Não deixou ainda de acrescentar, que tendo vindo ao Norte passar uns dias e passando perto de um amigo, nunca o faria sem o visitar.

Um pouco mais tarde, tendo sugerido que os guardas da AR que o acompanhavam se juntassem a nós, disse-me que evidentemente não via inconveniente.

Acho que comemorar o aniversário do nascimento do Tito é indispensável. Não só pela oportunidade de mais uma vez lhe render homenagem, mas também para recordar que Homens desta craveira, – que infelizmente se tornam raros –, merecem não ser esquecidos.

Germano Lima



publicado por CCTM às 01:03
link do post | comentar |

Tito de Morais - 1974
CCTM
Comissão Executiva das Comemorações do Centenário de Tito de Morais

. . . . - HomePage -
pesquisar neste blog
 
contactos
Largo do Rato nº 2
1269-143 Lisboa
cctm@sapo.pt
cctm@ps.pt
autores
em destaque
. biografias (notas)
. - entrevista (M.José Gama)
. cctm - comissão executiva
. cctm - comissão de honra
. comunicação social/informação
. Portugal Socialista 2010
. depoimentos actuais
. depoimentos anteriores
. estórias
. exílio
. - Argélia
. - França
. - Itália
. família
. mensagens
posts recentes

Manuel Alfredo Tito de Mo...

Selagem do Blog

Audiência com o President...

Apresentação do relatório...

Relatório final das CCTM

Portugal Socialista - 201...

Portugal Socialista - Edi...

Legado, inspiração e estí...

Sempre em defesa dos valo...

Exemplo de empenho cívico

arquivos

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

últimos comentários
SUA SOLUÇÃO FINANCEIRA EM 72 HORAS.Incrível, mas v...
Boa noite,Ainda tenho uma carta do Francisco R.Cos...
Boa noite, sugiro que entre em contacto com a asso...
Boa noite, estou a realizar um trabalho no âmbito ...
Só lhe peço que refira que a imagem faz parte do e...
Boa noite caro amigo,Gostaria de lhe perguntar se ...
Estou a ver na TV informacao sobre a greve. Esta g...
Tenho seguido atentamente todos os passos destas c...
Li as vossas palavras e fiquei muito contente de s...
Excelente! É uma amizade exemplar que nem a distân...
mais comentados
7 comentários
3 comentários
2 comentários
2 comentários
2 comentários
2 comentários
tags

todas as tags

links
subscrever feeds
blogs SAPO