Terça-feira, 29 de Junho de 2010

Convite Assembleia da República Homenagem Tito de Morais



publicado por Luis Novaes Tito às 13:07
link do post | comentar |

Placa casa Tito de Morais

 

Numa breve cerimónia realizada na rua, o Presidente da Assembleia da República, Jaime Gama, a Associação dos ex-deputados – AEDAR – pela voz do seu presidente Luís Barbosa, e Manuel Tito de Morais Oliveira, neto do homenageado, evocaram a memória de Tito de Morais e descerraram a placa que assinala a casa onde viveu Manuel Alfredo Tito Morais depois do seu regresso do exílio.

Jaime Gama referiu na altura o que os levava a fazê-lo: - "simboliza aquilo que (Tito de Morais) foi em vida: como um grande combatente político, um homem bom e sério e um homem de luta pela liberdade e democracia do seu país."

Está lá, na parede do nº 4 da Avenida Magalhães de Lima, em Lisboa, para que quem passe a leia e lembre que este País é obra de homens bons que nos deixaram exemplos de futuro.

Para além dos familiares e do Presidente do Partido Socialista, Almeida Santos, assistiram ao acto todos os membros da Comissão Executiva promotora das Comemorações do Centenário, muitos outros da Comissão de Honra, inúmeras individualidades e muitos cidadãos.



publicado por Luis Novaes Tito às 13:05
link do post | comentar |

Placa casa Tito de Morais


publicado por CCTM às 13:00
link do post | comentar |

Convite AR Placa casa Tito de Morais


publicado por CCTM às 03:23
link do post | comentar |

Segunda-feira, 28 de Junho de 2010
Convite AR Placa casa Tito de Morais


publicado por CCTM às 03:22
link do post | comentar |

Marcador fotobiografiaFoi com a sala cheia no Palácio Galveias que se deram início aos trabalhos da semana das Comemorações do Centenário de Tito de Morais (CCTM).

Depois de Catarina Vaz Pinto, vereadora da CML ter dado as boas-vindas na sua qualidade de anfitriã, Luís Novaes Tito fez a abertura solene da Semana das CCTM com uma breve intervenção especialmente dirigida a agradecimentos para todos os que ajudaram a concretizar estas comemorações. Mais abaixo fica o texto proferido.

Teresa Loureiro, representante da editora, referiu o agrado de ter sido seleccionada a Guerra e Paz para editar a fotobiografia e, num curto apontamento, apresentou a obra produzida.

Seguiram-se os oradores convidados tendo Pedro Coelho, fundador do Partido Socialista, centrado a sua alocução nas experiências vividas com Tito de Morais, tanto na oposição ao regime ditatorial no exílio, como depois da liberdade em Portugal. Um apontamento de grande relevância para a compreensão do "Homem e do Político" Tito de Morais.

Já Fernando Rosas preferiu a abordagem histórica de todo o percurso até ao 25 de Abril. Deu uma brilhante lição da recente História de Portugal que manteve a audiência interessada ao ponto de durante todo o período em que expôs "não se ouvir uma mosca na sala". Foi fortemente ovacionado.

A sessão terminou com o emocionado depoimento de Teresa Tito de Morais Mendes, direccionado às dificuldades e alegrias de uma família que passou grande parte da sua vida separada em função da intolerância de um regime marcado pela brutalidade e pela prepotência e que acabou por ver esse regime suplantado pela democracia ambicionada por Tito de Morais.

Com a lição dada e com a exposição das vivências, aprendeu-se mais naquela sala do Palácio Galveias do que em muitos compêndios da História Portuguesa do século XX.

 

Declaro aberta a semana das Comemorações Nacionais do Centenário do Nascimento de Manuel Tito de Morais.

Senhora Embaixadora da República Democrática e Popular da Argélia, Fatiha Selmane
Senhores Membros da Mesa
Senhora Presidente da Comissão Executiva Dr.ª Carolina Tito de Morais
Minhas Senhoras e meus Senhores

Do que pode falar o Coordenador da Comissão Executiva das Comemorações do Centenário de Tito de Morais no dia em que se começam a realizar todas as acções que foram idealizadas e programadas ao longo de um ano?

Possivelmente de muito, maçando uma audiência que aguarda com o maior interesse o que têm a dizer a representante da Editora Guerra e Paz, Teresa Loureiro, a representante da família, Teresa Tito de Morais Mendes e especialmente os nossos brilhantes oradores convidados, Pedro Coelho e Fernando Rosas.

Mas prefiro não o fazer e deixar só o meu agradecimento a todos os ilustres membros da Comissão de Honra, com especial ênfase para o Senhor Presidente da República que anuiu em presidi-la, aos Senhores Presidente da Assembleia da República e Primeiro-Ministro, aos Senhores Representantes do Poder Judicial, ao Senhor Presidente da Região Autónoma dos Açores, aos Senhores Presidentes de Câmaras Municipais, ao Presidente do Partido Socialista Nacional e aos Presidentes dos PS Regionais que, ao integrá-la, transformaram esta iniciativa cívica de um grupo de familiares e amigos de Tito de Morais, num acto de reconhecimento nacional de uma das mais íntegras personalidades portuguesas do Século XX.

Prefiro agradecer a Abdelaziz Bouteflika, a Felipe Gonzalez e a Pierre Schori por terem internacionalizado este reconhecimento.

Prefiro agradecer ao Dr. Jaime Gama a homenagem que amanhã vai fazer na Casa da Democracia a um dos seus pares que o antecedeu, e que por ela tanto fez.

Prefiro agradecer à vereadora da Câmara Municipal de Lisboa, Dr.ª Catarina Vaz Pinto, a cedência do Palácio Galveias para se realizar esta sessão inaugural e ao Dr. António Costa a homenagem que o povo de Lisboa vai fazer depois de amanhã com a perpetuação em bronze da memória de um dos seus mais ilustres munícipes.

Prefiro agradecer ao Dr. Mário Soares e ao Dr. António Reis as sessões evocativas e históricas que vão promover nos dias seguintes, na Fundação Mário Soares e no Grande Oriente Lusitano.

Prefiro agradecer ao Partido Socialista nas pessoas do seu presidente, Dr. Almeida Santos, e na do seu Secretário-Geral, Eng. José Sócrates, a recepção para encerramento desta semana de comemorações e todo o apoio logístico e técnico que foi prestado à Comissão Executiva.

Prefiro agradecer ao escultor Francisco Simões a sua arte, a Teresa Loureiro e à sua equipa a edição da fotobiografia, a Mário Soares o prefácio que a enriqueceu, a Pedro Clérigo, a Anabela Almeida e à equipa da Panavídeo a produção do magnífico documentário “Antes Quebrar que Torcer”, a Jorge Wemans e à equipa da RTP2 que patrocinaram esse registo histórico, a Teresa Fonseca, Rui Pereira Costa e à equipa da Assembleia da República que produziu a brochura biográfica e preparou a sessão e a exposição, a Pedro Coelho e à equipa dos CTT que produziram o inteiro-postal, a Jorge Seguro Sanches e à equipa do Acção Socialista que divulgaram os nossos trabalhos, a José Augusto de Carvalho, a Francisco Sandoval e à equipa que com eles e com o José Neves e a Maria José Gama concretizaram o Número Especial Comemorativo do Portugal Socialista de que Tito de Morais foi fundador, a todos os autores que se disponibilizaram a prestar os seus depoimentos, a André Figueiredo e às equipas de apoio e gráficas do Partido Socialista, em especial ao Guilherme de Azevedo, ao Miguel Andrade e à Paula Perna que connosco colaboraram.

Prefiro agradecer os patrocínios da Martins Lemos, e da Triunfadora na construção do catálogo-programa e, ao Partido Socialista por ter adquirido o número de exemplares suficiente da fotobiografia que permitiram a sua edição.

Prefiro agradecer a todos os militantes do Partido Socialista as inúmeras manifestações de regozijo e respeito que têm promovido em memória de um dos três primeiros fundadores do Partido Socialista, através das sessões especiais e da aprovação dos votos de homenagem que, do norte ao sul do País, e no estrangeiro, têm obtido unanimidade e, a maior parte das vezes, aclamação.

Prefiro agradecer à nossa querida presidente Carolina o arranque da iniciativa e através dela a todos os membros da Comissão Executiva, o trabalho, a determinação e o esforço voluntário que proporcionaram levar a bom porto estas comemorações.

Finalmente prefiro agradecer ao Almirante Tito Augusto de Morais e a Carolina Loureiro de Macedo de Morais o acto de amor que foi ter dado a esta Nação um filho da têmpera de Manuel Alfredo Tito de Morais que hoje evocamos no seu centésimo aniversário.

O Tito sabe que o seu exemplo é a nossa lição de futuro e nós sabemos que nos compete passar os princípios por ele legados às gerações vindouras.

A todos, muito obrigado.
Luís Novaes Tito
2010.06.28



publicado por CCTM às 03:17
link do post | comentar |

Fotobiografias no Palácio Galveias


publicado por CCTM às 03:00
link do post | comentar |

Convite Palácio Galveias 
Abertura das Comemorações do Centenário de Tito de Morais
Hoje, dia 28 de Junho de 2010, 19:30 horas
Palácio Galveias, Campo Pequeno, Lisboa
Mesa
Oradores convidados: Fernando Rosas e Pedro Coelho
Representante da família: Teresa Tito de Morais Mendes
Representante da Editora Guerra e Paz: Maria Teresa Loureiro
Coordenador da Comissão Executiva: Luís Novaes Tito
Vereadora da CML: Catarina Vaz Pinto
Apresentação da fotobiografia e do Calendário Geral das Comemorações do Centenário
Nota: Tito de Morais faria 100 anos no dia 28 de Junho


publicado por CCTM às 01:39
link do post | comentar |

Sábado, 26 de Junho de 2010

Documentário sobre a vida de Tito de Morais a passar na RTP2, hoje, dia 26 de Junho de 2010, às 21:00 horas.

Pode igualmente ver o vídeo oficial da promoção (diferente do publicado neste Blog) e o teaser banda sonora no site da Panavídeo.

 

Sinopse Documentário Manuel Tito de Morais – Antes Quebrar que Torcer

Exílio. Prisão. Perseguição. Clandestinidade. Tortura. Conspiração. Luta. Privação. Sacrifício. Conquista. Construção. Renúncia. Convicção.
Manuel Tito de Morais – 1910-1999

Irene Flunser Pimentel, Mário Soares, António Guterres, Almeida Santos, Jaime Gama, Manuel Alegre, António Capucho, Carlos Brito, Adriano Moreira, Pedro Pezarat Correia, Adelino Tito de Morais, António Reis, Carolina Tito de Morais, Luís Novaes Tito, Luisa Tito de Morais, M. Conceição Tito de Morais Pires, Pedro Tito de Morais e Teresa Tito de Morais Mendes, testemunham sobre Manuel Tito de Morais e sobre uma época de quase meio século de ditadura e a sua transição para a Democracia. “Antes Quebrar que Torcer”, um documentário biográfico sobre o político Manuel Tito de Morais.

Manuel Tito de Morais deu os primeiros passos no rescaldo da implantação da República em 1910, um momento histórico para o qual o seu pai muito contribuiu, ao bombardear o Palácio das Necessidades e provocar a fuga da família real. E a verdade é que os valores que nortearam a implantação da República – liberdade, igualdade, fraternidade – serviram de inspiração à longa vida de Tito de Morais.

Desde muito jovem que se manifestou contra a ditadura, sendo desde logo uma voz dissonante e contra a corrente. Por isso foi perseguido, preso, torturado. Teve dois casamentos e oito filhos e a sua família sofreu também o preço dos seus ideais. Viveu em Angola, onde conheceu o lado mais violento do regime. Seguiram-se os exílios no Brasil, em Argel e em Itália. Foi alvo de uma tentativa de emboscada que lhe poderia ter custado a vida. Liderou importantes movimentos de oposição ao regime a partir do exterior. E sem nunca desistir, conseguiu impor a sua visão: criar um Partido Socialista. “Ele já era do Partido Socialista antes do Partido Socialista o ser”, diz Manuel Alegre.

A liberdade por que tanto lutou chegou finalmente quando tinha 64 anos. Regressou do exílio no célebre “comboio da liberdade” com os seus companheiros de luta Mário Soares e Ramos da Costa. Quando parecia que já não havia mais nada para fazer, arregaçou as mangas e dedicou-se à organização do Partido na legalidade. Vieram as conquistas da democracia e da liberdade mas também as divergências. Foi Secretário de Estado e Presidente da Assembleia da República mas nunca se deixou corromper pelo deslumbre do poder. Renunciou a deputado quando a orientação do Partido não era que ele defendia e manifestou-se contra as coligações no governo. “Sem ele, a história recente da Democracia não teria sido a mesma” diz António Guterres. Intransigente e teimoso, diz quem o conheceu que Manuel Tito de Morais era de antes quebrar que torcer.

 

Duração: 58’

 

Realização – Pedro Clérigo
Jornalista/Guião – Anabela Almeida
Dir. Fotografia/ Imagem – Jorge Afonso
Banda Sonora Original– António José de Almeida
Pós-Produção Áudio – Samuel Rebelo
Pós-Produção HD - Pedro Clérigo
Coordenação Geral Panavideo – Telma Teixeira da Silva
Produção - Panavídeo



publicado por CCTM às 11:22
link do post | comentar |

Quinta-feira, 24 de Junho de 2010

Bertand - Lançamento da Fotobiografia de Tito de Morais (2010.06.24)

 

O lançamento da fotobiografia de Manuel Tito de Morais realizado hoje, dia 24 de Junho de 2010, na Bertrand Chiado, foi o primeiro momento público que antecedeu as Comemorações do Centenário de Tito de Morais a iniciar na próxima segunda-feira, dia 28 de Junho.

Com mais de uma centena de presenças, Teresa Loureiro, Nuno Tito de Morais Ramos de Almeida e Guilherme d’Oliveira Martins, desenvolveram abordagens da obra e da personalidade biografada nas perspectivas editorial da fotobiografia, histórico-familiar e de análise do percurso percorrido por Tito de Morais desde a resistência à ditadura até ao desempenho, por sufrágio democrático, da posição de segunda figura do Estado.

Luísa Tito de Morais, coordenadora do Grupo de Trabalho da Comissão Executiva para a Fotobiografia, foi merecedora de uma salva de palmas de toda a assistência em reconhecimento pelo registo que, com toda a sua equipa – Maria José Gama, Álvaro Sales Lopes, Jaime Mendes e Luís Novaes Tito –, deixou para as gerações vindouras.

O segundo e último momento público anterior às comemorações será a passagem na RTP2, no próximo sábado, dia 26 de Junho, às 21:00 horas, de um documentário sobre a vida de Manuel Tito de Morais. Uma produção da Panavídeo.

Referências
Agradecimento especial ao sempre atento Leonel Vicente – Memória Virtual
Também publicado no a Barbearia do Senhor Luís



publicado por Luis Novaes Tito às 23:59
link do post | comentar |

Convite Fotobiografia Guerra e Paz Bertrand CCTM

 

Com apresentação de Guilherme d'Oliveira Martins e de Nuno Tito de Morais Ramos de Almeida, vai ser lançada na Livraria Bertrand do Chiado, hoje, dia 24 de Junho de 2010, pelas 18:30 horas, a fotobiografia de Manuel Tito de Morais, um trabalho da Comissão Executiva das Comemorações do Centenário de Tito de Morais.

Editada pela Guerra e Paz, a fotobiografia com prefácio da autoria de Mário Soares, resultou da pesquisa e texto de Luísa Tito de Morais, Maria José Gama, Álvaro Sales Lopes, Jaime Mendes e Luís Novaes Tito.

Fontes:
Espólio de Manuel Alfredo Tito de Morais; Entrevista a Manuel Tito de Morais, por Maria José Gama, Acção Socialista, 1991; A Vontade Política Inquebrantável de Tito de Morais, artigo de José Neves, 2010; SALAZAR, Biografia da Ditadura, por Pedro Ramos de Almeida, editorial Avante, 1999; Cem Anos de Esperança, por Isabel Soares, Edições Portugal Socialista, Setembro de 1979; Comissão Nacional das Eleições (CNE); Diário da Assembleia da República; Vencer a Crise Preparar o Futuro – Um ano de Governo Constitucional, Secretaria de Estado da Comunicação Social; Publicação “Algumas Reflexões sobre os Problemas da Assembleia da República”, Manuel Tito de Morais, Gabinete PAR, 28 de Setembro de 1984.

Manuel Tito de Morais
FOTOBIOGRAFIA
Livro cartonado no formato 20x26 cm, com capa directa a 4/0 cores plastificada a mate. Miolo em Papel Couchê Volume 150gr a 4/4 cores. Guerra e Paz Editores.
Capa: Ilídio Vasco.
Paginação: Gráfica 99.



publicado por CCTM às 00:50
link do post | comentar |

Quinta-feira, 17 de Junho de 2010

 Filme promocional do documentário sobre a vida de Tito de Morais a passar na RTP2, dia 26 de Junho de 2010, às 21:00 horas

 

Sinopse Documentário

Manuel Tito de Morais – Antes Quebrar que Torcer

Exílio. Prisão. Perseguição. Clandestinidade. Tortura. Conspiração. Luta. Privação. Sacrifício. Conquista. Construção. Renúncia. Convicção. Manuel Tito de Morais – 1910-1999

Irene Flunser Pimentel, Mário Soares, António Guterres, Almeida Santos, Jaime Gama, Manuel Alegre, António Capucho, Carlos Brito, Adriano Moreira, Pedro Pezarat Correia, Adelino Tito de Morais, António Reis, Carolina Tito de Morais, Luís Novaes Tito, Luisa Tito de Morais, M. Conceição Tito de Morais Pires, Pedro Tito de Morais e Teresa Tito de Morais Mendes, testemunham sobre Manuel Tito de Morais e sobre uma época de quase meio século de ditadura e a sua transição para a Democracia. “Antes Quebrar que Torcer”, um documentário biográfico sobre o político Manuel Tito de Morais.

Manuel Tito de Morais deu os primeiros passos no rescaldo da implantação da República em 1910, um momento histórico para o qual o seu pai muito contribuiu, ao bombardear o Palácio das Necessidades e provocar a fuga da família real. E a verdade é que os valores que nortearam a implantação da República – liberdade, igualdade, fraternidade – serviram de inspiração à longa vida de Tito de Morais.

Desde muito jovem que se manifestou contra a ditadura, sendo desde logo uma voz dissonante e contra a corrente. Por isso foi perseguido, preso, torturado. Teve dois casamentos e oito filhos e a sua família sofreu também o preço dos seus ideais. Viveu em Angola, onde conheceu o lado mais violento do regime. Seguiram-se os exílios no Brasil, em Argel e em Itália. Foi alvo de uma tentativa de emboscada que lhe poderia ter custado a vida. Liderou importantes movimentos de oposição ao regime a partir do exterior. E sem nunca desistir, conseguiu impor a sua visão: criar um Partido Socialista. “Ele já era do Partido Socialista antes do Partido Socialista o ser”, diz Manuel Alegre.

A liberdade por que tanto lutou chegou finalmente quando tinha 64 anos. Regressou do exílio no célebre “comboio da liberdade” com os seus companheiros de luta Mário Soares e Ramos da Costa. Quando parecia que já não havia mais nada para fazer, arregaçou as mangas e dedicou-se à organização do Partido na legalidade. Vieram as conquistas da democracia e da liberdade mas também as divergências. Foi Secretário de Estado e Presidente da Assembleia da República mas nunca se deixou corromper pelo deslumbre do poder. Renunciou a deputado quando a orientação do Partido não era que ele defendia e manifestou-se contra as coligações no governo. “Sem ele, a história recente da Democracia não teria sido a mesma” diz António Guterres. Intransigente e teimoso, diz quem o conheceu que Manuel Tito de Morais era de antes quebrar que torcer.

 

Duração: 58’

Realização – Pedro Clérigo

Jornalista/Guião – Anabela Almeida

Dir. Fotografia/ Imagem – Jorge Afonso

Banda Sonora Original– António José de Almeida

Pós-Produção Áudio – Samuel Rebelo Pós-Produção

HD - Pedro Clérigo

Coordenação Geral Panavideo – Telma Teixeira da Silva



publicado por CCTM às 20:26
link do post | comentar |

Terça-feira, 8 de Junho de 2010

Inteiro Postal - CCTM

Portaria n.º 307/2010
de 8 de Junho

Manda o Governo, pelo Secretário de Estado Adjunto, das Obras Públicas e das Comunicações, ao abrigo das disposições do artigo 4.º do Decreto-Lei n.º 360/85, de 3 de Setembro, que seja lançado em circulação um postal inteiro comemorativo do centenário do nascimento de Manuel Alfredo Tito de Morais

Design: Atelier Acácio Santos/Elisabete Fonseca
Dimensão: 150 mm × 105 mm
Taxas: taxa paga (válido para o 1.º escalão do serviço normal nacional)
1.º dia de circulação: 29 de Junho de 2010
Tiragem: 20 000 exemplares.

O Secretário de Estado Adjunto, das Obras Públicas e das Comunicações, Paulo Jorge Oliveira Ribeiro de Campos, em 2 de Junho de 2010.



publicado por CCTM às 23:43
link do post | comentar |

Domingo, 30 de Maio de 2010

Voto de Homenagem Tito de Morais

Voto de Homenagem

No mês em que o fundador do Partido Socialista, Manuel Tito de Morais, faria cem anos, esta estrutura do PS presta-lhe a devida homenagem evocando a memória de um dos ilustres homens que se bateu contra a ditadura do Estado Novo e que com determinação, antes e depois da liberdade, foi um dos maiores impulsionadores do socialismo democrático em Portugal através da criação, organização e estruturação do Partido Socialista.

A sua postura ética e política consubstanciada na resistência contra o totalitarismo e a intolerância e baseada nos princípios da liberdade, da fraternidade e da solidariedade continua a ser um exemplo que importa recordar e seguir por todos os socialistas portugueses.

 

Meus caros Camaradas,

Manuel Alfredo Tito de Morais faria cem anos no próximo dia 28 de Junho.

A família e um grupo de amigos que com ele colaboraram entenderam constituir uma Comissão Executiva com o intuito de promover a comemoração do seu centenário. Esta comissão planeou, com o patrocínio do Partido Socialista do qual Tito de Morais foi fundador e um dos principais impulsionadores, um programa de acções nacionais, cívicas e político-partidárias para a semana que decorre entre os dias 28 de Junho e 2 de Julho.

Dadas as características éticas e políticas com que desempenhou os mandatos de constituinte, deputado, Vice-presidente e Presidente da Assembleia da República que lhe granjearam o reconhecimento geral de todo o espectro político nacional, confirmado com as elevadas condecorações que a República lhe concedeu, a Assembleia da República entendeu promover-lhe uma homenagem solene que constituirá o ponto mais alto das comemorações.

Os outros eventos que assinalarão a semana constam do desdobrável que se junta e para o qual se apela à divulgação junto dos Camaradas que integram a vossa estrutura. Um dos actos considerados é a aprovação durante o mês de Junho, nas diversas estruturas do Partido Socialista, do Voto de Homenagem que propomos, forma simples mas justa de evocar o fundador que organizou e estruturou o Partido Socialista, e que com a sua acção foi decisivo na implementação da maior força política ainda hoje existente em Portugal.

Gostaríamos de ter o retorno, em cctm@sapo.pt, da anuência a este acto e, nesse caso, do órgão da vossa estrutura que fez aprovar o voto proposto.

Deixo-vos um fraterno abraço com as melhores saudações socialistas,Assinatura

 

 Maria Carolina Tito de Morais

(Presidente da Comissão Executiva)



publicado por Luis Novaes Tito às 13:22
link do post | comentar |

Quinta-feira, 20 de Maio de 2010

Quadro Tito de MoraisDivulga-se o calendário das Comemorações do Centenário de Tito de Morais que se centrarão na semana que decorre entre 28 de Junho, data em que Manuel Alfredo Tito de Morais faria cem anos, e 2 de Julho.

Todas estas acções estão a ser ultimadas com os respectivos promotores e o patrocínio para a edição da fotobiografia, da autoria da Comissão Executiva, está assegurado pelo Partido Socialista.

Nos próximos dias serão divulgados detalhes de cada um dos eventos.

24 de Junho
Livraria Bertrand - Chiado - Lisboa 
Lançamento da fotobiografia de Manuel Alfredo Tito de Morais. (18:30 h)

26 de Junho
RTP2
Documentário sobre a vida de Manuel Alfredo Tito de Morais. (55 m, à noite, em hora a anunciar)

28 de Junho
Palácio Galveias - Lisboa
Início das Comemorações (data do aniversário de Tito de Morais) com a apresentação da fotobiografia por dois historiadores. (19:30 h)

29 de Junho
Assembleia da República
Descerramento de uma lápide na casa de Lisboa onde viveu Tito de Morais. (12:00 h)

Sessão solene na Assembleia da República. (18:00 h)
Edição de uma biografia.
Exposição.
Lançamento de um inteiro-postal. (CTT)

30 de Junho
Câmara Municipal de Lisboa
Descerramento do busto de Tito de Morais da autoria de Francisco Simões num jardim público adjacente à Sede Nacional do PS. (12:00 h)

Grande Oriente Lusitano
Sessão branca. (19:00 h)

1 de Julho
Associação Tito de Morais
Escritura da Associação. (11:00 h)

Fundação Mário Soares
Sessão solene. (18:30 h)
Exposição da FMS.

2 de Julho
Partido Socialista
Sessão Solene na Sede Nacional - Largo do Rato. (17:00 h)
Apresentação do número especial do Portugal Socialista.
Abertura da Sala Tito de Morais.

De 3 a 6 de Julho
Exposições sobre a vida de Tito de Morais nas Federações do PS:
Algarve, Coimbra, Lisboa, Porto e Viana do Castelo.

Durante todo o mês de Junho
Aprovação de votos de homenagem em diversas estruturas do PS.
Edição de um caderno especial sobre Tito de Morais no Jovem Socialista



publicado por Luis Novaes Tito às 12:26
link do post | comentar |

Domingo, 18 de Abril de 2010

Desdobrável e Sala Tito de MoraisAinda sujeito a confirmação e eventuais alterações, que na altura serão comunicadas, divulga-se o calendário das comemorações do centenário de Tito de Morais que se centrarão na semana que decorre entre 28 de Junho, data em que Manuel Alfredo Tito de Morais faria cem anos, e 2 de Julho.

Todas estas acções estão a ser preparadas com os respectivos promotores e o patrocínio para a edição da fotobiografia, da autoria da Comissão Executiva, está assegurado pelo Partido Socialista.

Voltaremos em breve a este assunto, quando já for possível apresentar os detalhes.

 

28 de Junho
Câmara Municipal de Lisboa
Descerramento do busto de Tito de Morais no jardim público adjacente à Sede Nacional do PS. (12:00 h)

Museu da República e Resistência
Sessão Solene. (18:00 h)
Apresentação da fotobiografia de Tito de Morais.
Exposição.

29 de Junho
Assembleia da República
Descerramento de uma lápide na casa de Lisboa onde viveu Tito de Morais. (12:00 h)
Sessão solene na Assembleia da República. (18:00 h)
Edição de uma biografia.
Exposição.
Lançamento de um inteiro-postal. (CTT)

30 de Junho
Grande Oriente Lusitano
Sessão branca. (19:00 h)

1 de Julho
Associação Tito de Morais
Escritura  da Associação. (11:00 h)

Fundação Mário Soares
Sessão solene. (19:00 h)
Exposição da FMS.

2 de Julho
Partido Socialista
Sessão Solene na Sede Nacional - Largo do Rato. (17:00 h)
Apresentação do número especial do Portugal Socialista.
Abertura da Sala Tito de Morais.

De 3 a 6 de Julho
Exposições sobre a vida de Tito de Morais nas Federações do PS:
Algarve, Coimbra, Lisboa, Porto e Viana do Castelo.

Durante todo o mês de Junho
Aprovação de votos de homenagem em diversas estruturas do PS.
Edição de um caderno especial sobre Tito de Morais no Acção Socialista
Edição de um caderno especial sobre Tito de Morais no Jovem Socialista

Ainda no âmbito das CCTM:
Documentário na RTP2 sobre a vida de Tito de Morais. (noite de 26/06)
Lançamento da fotobiografia de Tito de Morais em diversas livrarias (semana de 21 a 27 de Junho).



publicado por Luis Novaes Tito às 13:05
link do post | comentar |

Segunda-feira, 21 de Dezembro de 2009

CCTM - Tito de MoraisA Comissão Executiva das Comemorações do Centenário de Tito de Morais tem por objectivo promover, em Junho de 2010, na semana de 28, dia em que Manuel Alfredo Tito de Morais faria cem anos, um conjunto de acções que convoquem a memória para os princípios de um dos homens que, no Século XX, foi um dos maiores impulsionadores do regresso de Portugal à democracia europeia e um dos lutadores para que todos os cidadãos tivessem as mesmas oportunidades e pudessem expressar-se e agir em liberdade.

De entre todas as acções que estão abarcadas no programa elencam-se as mais relevantes:

- Constituição de uma Comissão de Honra;
- Sessão solene na Assembleia da República (AR);

- Edição de uma brochura biográfica (AR);

- Emissão de um selo comemorativo (AR/CTT);

- Sessão evocativa no Grémio Lusitano (GOL);

- Sessão evocativa na Fundação Mário Soares;

- Exposição sobre a vida Tito de Morais no Museu da República e Resistência;

- Edição de uma fotobiografia;

- Realização de um documentário sobre a vida de Tito de Morais (RTP);

- Descerramento em Lisboa de um busto de Tito de Morais (CML);

- Descerramento de uma lápide evocativa na casa onde morou Tito de Morais;

- Edição de um número comemorativo do Portugal Socialista;

- Promoção de acções evocativas em diversas estruturas do PS.

Desde já se apela a todas as estruturas do Partido Socialista no sentido de se mobilizarem para sessões, a realizar durante o mês de Junho de 2010, em memória de Tito de Morais.

De todas estas acções daremos oportunamente mais detalhes neste Blog da Comissão Executiva (CCTM), expressamente construído para promover a divulgação das acções previstas e ajudar a recordar o exemplo de vida de Tito de Morais.



publicado por Luis Novaes Tito às 00:01
link do post | comentar |

Sábado, 12 de Dezembro de 2009

Maria Raquel dos Reis Rodrigues

 

Maria Raquel dos Reis Rodrigues

(1936.08.08 - 2009.11.03)

 

Falar de Raquel Reis é extremamente difícil, pois será utópico pensar retratá-la plenamente, em virtude do seu extenso e rico currículo.

Muito empreendedora, objectiva e determinada, a investigação científica foi a sua grande paixão. Carreira que abraçou com brilhantismo. Possuidora de uma inteligência de elevado nível e de inúmeras capacidades, era uma pessoa especial e multi-facetada. Estudar era o seu maior prazer. No entanto soube, na perfeição, gerir o seu tempo, entre a docência, a política – como militante activa do PS –, a família e o convívio entre os amigos, que gostosamente cultivava.

Órfã de mãe aos 15 anos, aprendeu com este rude golpe que, para vencer as agruras no advir dos seus dias, teria que ser forte. Sentimento que sempre a norteou. Jamais fraquejou perante as adversidades e dificuldades que, inevitavelmente, lhe surgiram ao longo da vida. Corajosa e conscientemente contornava as situações e lutava com veemência para as ultrapassar e resolver.

Natural de Lisboa, aqui estudou, tendo terminado o ensino secundário no liceu D. Filipa de Lencastre, em 1953. Ingressou na Faculdade de Ciências de Lisboa e em 1966 licenciou-se em Ciências Matemáticas. Na qualidade de bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian, em 1980, fez doutoramento em matemática na Universidade Eötvös Lörand – Budapeste, ao apresentar e defender a tese “Partial residuals on proupoid-lattices” em que obteve a classificação de summa cum laude, a mais alta classificação concedida por aquela Instituição.

Em 1999, como Professora Auxiliar da Universidade Aberta e já com larga experiência na formação de professores deu início, ao seu sonho de sempre, à investigação, sendo de referir entre outras a “Teoria das Ideias”.

Desde então o curriculum de Raquel Reis valorizou-se e aumentou muitíssimo. Leccionou, dirigiu mestrados, fez parte de júris de mestrados e de doutoramentos. Organizou, colaborou e participou, a nível nacional e muito especialmente internacional, em congressos, seminários e conferências. Publicou vários trabalhos de investigação, designadamente nas áreas da álgebra e da lógica.

Apesar de Jubilada, continuou a desempenhar acções de desenvolvimento na sua faculdade onde apresentou vários projectos, inclusive sobre gerontologia. Em reuniões sociais encantava pela sua afabilidade, comunicabilidade e na qualidade de boa contadora de histórias.

A título de curiosidade recordo uma conversa tida com Raquel, onde orgulhosamente me deu a saber que seu pai, Jaime Rodrigues, conhecido perito de arte de ourivesaria, designadamente de jóias antigas, as quais por vezes negociava na sua loja de antiguidades, emprestara ao Estado Português uma jóia linda e valiosa que pertencera à Rainha Vitória de Inglaterra a fim de ser fotografada para a capa do programa oficial da visita da Rainha Isabel II ao nosso país.

Raquel, devido ao seu dinamismo, após o falecimento de seu Pai, conseguiu, durante largos anos, manter em funcionamento a loja de antiguidades cumulativamente com a sua actividade profissional.

Reportando-me às amizades, gostaria de destacar o carinhoso afecto que sempre dedicou a sua irmã Irene e aos sobrinhos Sara Raquel e Ricardo Lázaro, bem como à sua afilhada Paula Maria Reis Inácio e de lembrar também a forte ligação que desde pequena a uniu ao “clã” Tito de Morais. Certamente, por ter perdido muito cedo a sua mãe, refugiava-se na casa destes amigos cujas filhas mantiveram sempre com a Raquel uma permanente e fraternal amizade.

A nossa querida amiga Raquel, elemento empenhado e activo da Comissão Executiva da Comemoração do Centenário de Tito de Morais (CCTM), vai fazer falta. Toda a Comissão, com enorme saudade e imensa mágoa pela sua repentina e inesperada partida, presta-lhe a mais profunda e sentida homenagem.

A Comissão ficou mais pobre. Mas, sobretudo o país, que talvez não a tenha apreciado com a mesma grandeza como foi reconhecida no estrangeiro, ficou de certeza mais pobre.

Nota biográfica em documento pdf

Autoria do apontamento biográfico: Maria José Gama em 2009.12.12

Bibliografia na área cientifico-profissional: Curriculum Vitae de 2004, cedido pela sua irmã Dra. Maria Irene Reis Rodrigues.



publicado por Maria José Gama às 20:55
link do post | comentar |

Quarta-feira, 18 de Novembro de 2009

 

Manuel Tito de Morais faria cem anos em 2010

Vamos homenagear o Fundador do PS

 

Manuel Tito de Morais, fundador do PS e ex-presidente honorário do partido, faria cem anos em 28 de Junho de 2010.

Para assinalar essa data foi constituída, em Lisboa, a Comissão Executiva das Comemorações do Centenário de Manuel Tito de Morais, que reúne mensalmente na sede nacional do PS, no Largo do Rato, para organizar e coordenar as diversas iniciativas que serão levadas a cabo.

A Comissão apela aos núcleos do PS e da JS de todo o país para organizarem os mais variados eventos durante o ano de 2010 destinados a recordar a figura ímpar de Tito de Morais como fundador do Partido Socialista, anti-fascista e obreiro da democracia.

Manuel Tito de Morais iniciou a sua actividade política aos 16 anos numa greve estudantil no Liceu Camões. Em 1945, aderiu ao Movimento de Unidade Democrática (MUD) de que seria membro da Comissão Central, tendo sido preso dois anos depois. Despedido do seu emprego por razões políticas viu-se obrigado a partir para Angola, onde continuou a luta pelos seus ideais democráticos. Mas mesmo aí seria preso de novo em 1961, quando rebentou a guerra colonial naquele país. Enviado, sob prisão, para Lisboa, seria libertado no aeroporto. De novo sem emprego, dirige-se agora para o estrangeiro, França, Alemanha, Brasil, Argélia e Itália, onde milita activamente nos movimentos unitários da oposição. Em Roma, como representante da Acção Socialista Portuguesa (ASP) foi o fundador e primeiro director do jornal “Portugal Socialista”, que constitui uma enorme mais-valia para a organização e mobilização dos socialistas portugueses no interior e exterior, que levaria à constituição do Partido Socialista em 1973, na Alemanha.

Após a revolução de 25 de Abril de 1974, Manuel Tito de Morais empenhou-se na organização interna do Partido Socialista e, em 1975, foi eleito deputado por Viana do Castelo à Constituinte. Seria deputado toda a sua vida útil e mesmo presidente da Assembleia da República em 1983/84, com um intervalo durante o 6º governo provisório e o 1º governo constitucional, em que desempenhou as funções de secretário de Estado da População e Emprego.

Toda esta actividade decorreu a par de uma grande militância partidária nos diversos órgão dirigentes do partido, sendo presidente do PS entre 1986 e 1988 e depois presidente honorário até à sua morte em 1999.

Luísa Tito de Morais

Publicado no Acção Socialista em 2009.05.06



publicado por CCTM às 00:01
link do post | comentar |

Terça-feira, 17 de Novembro de 2009

CCTM - Tito de MoraisCarolina Tito de Morais e os outros filhos de Manuel Alfredo Tito de Morais juntaram outras pessoas que com ele colaboraram de perto com o intuito de formalizar uma Comissão Executiva para promover, em 2010, as Comemorações do Centenário do Nascimento de  Tito de Morais.

Esta Comissão iniciou os trabalhos em meados de 2009 e ficou inicialmente constituída pelos filhos:

Carolina Tito de MoraisMaria da Conceição Tito de Morais Pires, Lúcia Melo Tito de Morais (mulher de João Tito de Morais (falecido), Luísa Tito de Morais, Teresa Tito de Morais Mendes, Manuel Tito de Morais, Luís Tito de Morais e Pedro Tito de Morais

e por: Álvaro Sales Lopes, Amândio Silva, Jaime Mendes, Jorge Melício, José Carlos Lobato Ferreira, José Neves, Luís Novaes Tito, Maria José Gama, Raquel Reis (entretanto falecida) e Roque Lino.

Este blog irá ser a presença desta Comissão na Internet. Tem por objecto divulgar todas as acções relacionadas com as comemorações bem como outras matérias, imagens e informação, que conduzam à promoção do conhecimento da vida ímpar de um dos mais persistentes lutadores pela liberdade do povo português no Século XX.

Todos os contributos e divulgação serão bem-vindos.

Os materiais e textos publicados neste blog podem ser livremente reproduzidos solicitando-se unicamente a indicação da sua fonte.



publicado por CCTM às 00:15
link do post | comentar |


Tito de Morais - 1974
CCTM
Comissão Executiva das Comemorações do Centenário de Tito de Morais

. . . . - HomePage -
pesquisar neste blog
 
contactos
Largo do Rato nº 2
1269-143 Lisboa
cctm@sapo.pt
cctm@ps.pt
autores
em destaque
. biografias (notas)
. - entrevista (M.José Gama)
. cctm - comissão executiva
. cctm - comissão de honra
. comunicação social/informação
. Portugal Socialista 2010
. depoimentos actuais
. depoimentos anteriores
. estórias
. exílio
. - Argélia
. - França
. - Itália
. família
. mensagens
posts recentes

Manuel Alfredo Tito de Mo...

Selagem do Blog

Audiência com o President...

Apresentação do relatório...

Relatório final das CCTM

Portugal Socialista - 201...

RTPi (internacional), hoj...

Encerramento das Comemora...

Encerramento das CCTM

Era quase uma obsessão

arquivos

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

últimos comentários
SUA SOLUÇÃO FINANCEIRA EM 72 HORAS.Incrível, mas v...
Boa noite,Ainda tenho uma carta do Francisco R.Cos...
Boa noite, sugiro que entre em contacto com a asso...
Boa noite, estou a realizar um trabalho no âmbito ...
Só lhe peço que refira que a imagem faz parte do e...
Boa noite caro amigo,Gostaria de lhe perguntar se ...
Estou a ver na TV informacao sobre a greve. Esta g...
Tenho seguido atentamente todos os passos destas c...
Li as vossas palavras e fiquei muito contente de s...
Excelente! É uma amizade exemplar que nem a distân...
mais comentados
1 comentário
tags

todas as tags

links
subscrever feeds
blogs SAPO